Na UTI, Bolsonaro evolui bem após cirurgia de emergência, diz hospital

Bolsonaro recebeu a visita do cantor Roger antes de ter de passar por nova cirurgia

Bolsonaro recebeu a visita do cantor Roger antes de ter de passar por nova cirurgia.



Readmitido na UTI (Unidade de Terapia Intensiva) do Hospital Israelita Albert Einstein na madrugada desta quinta-feira (13), o presidenciável Jair Bolsonaro (PSL) "evoluiu bem" e não teve intercorrências após a cirurgia de urgência a que foi submetido na noite desta quarta (12).

A informação consta do boletim médico divulgado por volta das 9h30 desta quinta, assinado pelo cirurgião Antônio Luiz Macedo, pelo clínico e cardiologista Leandro Echenique e pelo diretor superintendente do hospital, Miguel Cendoroglo. Segundo o comunicado, a operação teve duração de duas horas. Esse é o primeiro relatório após a segunda operação feita pelo deputado.

Na terça (11), o candidato ao Palácio do Planalto havia recebido alta da UTI e estava recebendo cuidados semi-intensivos.

A cirurgia foi realizada depois de Bolsonaro apresentar "distensão abdominal progressiva", um inchaço na barriga, que sugeriu o diagnóstico de obstrução intestinal, confirmado por tomografia computadorizada à tarde.

Ele levado para a cirurgia de urgência onde foram desfeitas as aderências do intestino e liberado o ponto de obstrução. "Além disso, constatou-se um extravasamento de secreção entérica (secreção intestinal) a montante do ponto de obstrução em uma das suturas realizadas anteriormente para correção dos ferimentos intestinais", informou o boletim.

Em mensagem de áudio enviada a colegas, o cirurgião Antônio Luiz Macedo contou que Bolsonaro "teve uma obstrução intestinal por aderências", que segundo ele é comum em traumas como o sofrido pelo presidenciável.

"Nós operamos, desfizemos as bridas [cicatrizes que se formam após uma operação]. Tinha uma fístula [ferida] intestinal de uma daquelas costuras. Refizemos tudo. Está ótimo, perfeito. Acabou tudo", relatou o médico.

Bolsonaro está internado no hospital Albert Einsein, em São Paulo, desde a última sexta (7), um dia depois de ter levado uma facada no dia anterior, durante ato de campanha em Juiz de Fora (MG).

"Voltou à estaca zero", diz um dos filhos

Em entrevista a uma rádio do Rio de Janeiro na manhã desta quinta-feira, Flávio Bolsonaro (PSL) disse que o pai voltou "à estaca zero". "Praticamente tiveram que abrir ele de novo, é como se ele tivesse voltado à estaca zero. Óbvio que ele não está como chegou ao hospital [em Minas Gerais], quase morto, mas voltou à UTI. Abriram de novo porque poderia dar uma infecção ou algo do tipo", declarou.

Outro filho do presidenciável, o vereador e candidato ao Senado Carlos Bolsonaro (PSL), que passou a madrugada no hospital, disse na manhã desta quinta-feira (13) nas redes sociais que o pai passa bem.

"Noite delicada, mas 100% contornada. O velho é forte como um cavalo. Não é à toa que seu apelido de Exército é 'cavalão', disse o vereador.

Veja a matéria completa: Na UTI, Bolsonaro evolui bem após cirurgia de emergência, diz hospital